Menu

    1295

    1295 (lê-se: Doze Nove Cinco), surgiu no início de 2001, após mudança na sua formação original. Mas por quê esse nome? Na verdade esse é o numero de onde fica situada a Empire Records (selo pelo qual lançou o primeiro CD oficial). As influências são de Ramones, No Use for A Name, The Ataris, dentre outras do gênero. A banda tem como tema em suas letras, canções de amor, que os farão refletir muito em seus conceitos. Com Léo Zíngano/guitarra e voz, Yúri Bilu/baixo e voz, Alexandre Grandão/guitarra e voz e Léo Mamede/bateria, gravaram seu CD demo no final daquele ano.

    A sua boa repercussão no meio underground de Fortaleza e os freqüentes shows renderam um contrato para o lançamento do primeiro cd, "Mesmo Alguém Distante Aqui", em parceria com o selo cearense EMPIRE RECORDS, que se encarregou da distribuição nacional. O trabalho rendeu bons frutos, como a participação da banda na "Feira Internacional da Música", em 2002, realizada nesta cidade, e também a importante presença de músicas da banda na programação de uma grande emissora de rádio fortalezense (Cidade 99.1), rádio esta que realizou o grande evento "Ceará Music", de reconhecimento nacional, e para o qual a 1295 foi escolhida no mesmo ano, em processso eliminatório, chegando a se apresentar para um público estimado em 25.000 pessoas. Participaram também do 1º Festival Vida & Arte, organizado pelo jornal cearense “ O POVO”, dentre outros eventos.

    Em conexão com o underground cearense, sempre com objetivo de fortalecê-lo, vem tocando com várias outras bandas, destacando-se na participação do movimento "Panela de Pressão", difusor e termômetro da cultura rock'n'roll cearense.

    O ano de 2003 foi muito conturbado pela saída de alguns membros. O primeiro “baque” foi a ida de Léo Mamede para os EUA, onde se casou, firmando lá sua moradia. Em seu lugar, foi convidado Roger Capone, baterista da banda Capones. Logo após foi a vez de Léo Zíngano e Yuri Bilu que cederam seus respectivos lugares a Felipe Zukin e Jones, da mesma Capones, que logo, por motivos de saúde, cedeu seu lugar ao ex-membro da banda Switch Stance, Matheus Fechine. Esta é a formação oficial, alem de Alexandre Grandão que completa o quarteto. Resumindo:
    Alexandre Grandão – Guitarras e Vocais, Felipe Zukin – Guitarras e Vocais, Matheus Fechine – Baixo e Backing Vocals e Roger Capone – Bateria.

    São projetos futuros a gravação de um novo CD, e ainda este ano, o tão sonhado Vídeo Clipe e mais a participação no Ceará Music 2004.

    Veja o site oficial